Liderança

Protagonismo deve ser conquistado

Kaio Serrate
Escrito por Kaio Serrate em 25 de setembro de 2023
Protagonismo deve ser conquistado
Quero aprender mais

Assine nossa lista e receba conteúdos exclusivos

Você é daqueles que acha que a empresa deveria reconhecer mais seus talentos e te dar novas responsabilidades? Lamento dizer, mas isso quase nunca acontece passivamente.

Sempre defendi que um profissional deve ser proativo e gerir sua carreira como se estivesse empreendendo com recursos de terceiros.

Protagonismo deve ser conquistado.

A meta é gerar o máximo de valor possível a partir desses recursos.

Um erro comum é acreditar que, antes, a organização precisa ser receptiva e ter políticas que valorizem esse tipo de postura.

Não é o que acontece na maioria das empresas.

É preciso conquistar essa condição “na unha”. Gerar valor até ser percebido como alguém que merece conquistar mais espaço para propor e tocar projetos inovadores.

Essa liberdade é concedida quando a empresa entende que a relação risco x retorno é positiva, ou seja, quando você passa a ser percebido como um recurso estratégico para os projetos da organização.

Algumas perguntas que podem ajudar nesse processo:

(1) Se eu não tivesse um chefe me mandando fazer dessa forma, como eu realizaria essa tarefa?

(2) Em qual projeto da empresa eu investiria minhas economias pessoais?

(3) Que tendência de mercado está sendo ignorada e eu entendo como o futuro do nosso negócio?

(4) Que trabalho eu ainda gostaria de fazer aqui se a empresa não me pagasse um salário?

Suas respostas a essas questões podem dar boas pistas sobre caminhos a serem percorridos.

Vá em frente, ocupe os espaços. O mundo empresarial nem sempre é justo. Entregue os resultados do cargo que você deseja ocupar antes de ocupá-lo. As oportunidades de crescimento costumam ser a validação de uma postura que você já demonstrava antes de conquistar o cargo formal.

Também disponível em formato podcast

Atenção para as pequenas tarefas

A primeira etapa para ser percebido como um protagonista é estabelecer uma relação de confiança com seus pares e superiores, bem como executar com excelência as responsabilidades do seu cargo (aquilo que você é pago para fazer).

Seu chefe espera que você conclua certas tarefas inerentes ao seu cargo, conclua-as. Faça o serviço dentro do prazo, sem estourar o orçamento e gerando o mínimo de estresse para os envolvidos. Não transfira suas responsabilidades para outros colegas de trabalho. Faça aquilo que esperam de você.

Antes de mais nada, cumpra as suas missões.

Tome cuidado também para não virar aquele tipo de pessoa que sempre tem uma objeção, sugestão ou reclamação. Este tipo de profissional vai perdendo influência a cada vez que abre a boca. Quanto mais você fala, menos as pessoas ouvem. Em certo momento, tudo que você falar será percebido como mais uma desculpa.

Seja proativo, mas seja cirúrgico. Escolha suas batalhas, assim você será percebido como alguém que realmente contribui com boas ideias e novas perspectivas.

Descubra necessidades não atendidas e resolva. Certa vez, me concentrei em reativar o relacionamento de algumas centenas de clientes empresariais da agência bancária em que eu trabalhava. Eles eram vistos pelos funcionários mais antigos como “os casos perdidos”. Eram os clientes problemáticos que haviam sido descartados pelos demais gerentes, que obviamente estavam focados nas empresas lucrativas. Vendi bem o peixe: alguns daqueles negócios certamente estavam em melhor situação financeira e precisávamos descobrir essas oportunidades escondidas. Eu era um novato que queria mostrar serviço, logo não foi difícil conseguir que meu chefe me deixasse focar nessa tarefa.

Passei meses telefonando para os proprietários daquelas empresas, atualizando documentos e cadastros e visitando as operações para entender necessidades específicas. Uma parte desses clientes era mesmo uma perda de tempo, mas a maioria deles voltou a fazer negócios com a instituição. O lucro da agência aumentou, assim como a minha reputação.

Conclusão, encontre um trabalho importante que ninguém está enxergando que precisa ser feito.

Outra face da mesma moeda, escolha alguns trabalhos impopulares, que os outros empurram com a barriga, e assuma a responsabilidade por eles. Fazer o trabalho chato que a liderança necessita, mas ninguém gosta de fazer conta pontos importantes.

Planilhas enormes que o líder gosta de consultar? Ok, conte comigo. Apresentações de resultados para outros setores que ninguém tem tempo para fazer direito? Ok, vou aprender meia dúzia de truques e entregar uma apresentação profissional. Um colega novato que ninguém teve tempo de acompanhar? Ok, serei seu mentor. Nenhum membro da equipe atualiza sua parte no planejamento estratégico? Ok, vou conversar com cada pessoa do time e registrar as atualizações. Esta, em especial, é uma excelente forma de descobrir oportunidades profissionais.

As possibilidades são infinitas. Toda empresa tem oportunidades escondidas e tarefas que ninguém deseja fazer. Encontre aquelas que mais se adequam aos seus talentos e assuma-as.

A cada demanda que você soluciona, aumenta o nível de confiança que as pessoas têm em você. Cada atividade concreta que você entregar com excelência vai reforçar a imagem de que você é um profissional com quem se pode contar.

Seja um resolvedor de problemas.

Uma observação importante caso você esteja achando meu conselho desarrazoado: repetir esse processo constrói sua capacidade profissional para muito além do seu emprego atual. É um ativo que permanece, que aumenta o seu valor de mercado e resulta em oportunidades futuras dentro ou fora da empresa para a qual você trabalha atualmente.

Tome para si o papel de protagonista. A maneira mais democrática de conquistar protagonismo pode ser resumida em uma palavra: DESEMPENHO.

No longo prazo, seu maior cartão de visitas será seu histórico de bons resultados.