Liderança

Como ter mais paciência

Kaio Serrate
Escrito por Kaio Serrate em 16 de outubro de 2023
Como ter mais paciência
Quero aprender mais

Assine nossa lista e receba conteúdos exclusivos

No artigo de hoje, falarei sobre uma virtude fundamental para trabalhar com excelência e liderar uma equipe com visão de longo prazo: a paciência.

Se eu te perguntar agora: o que é paciência e como desenvolvê-la? Você seria capaz de me dar uma boa resposta?

De modo bem prático, a paciência é a capacidade de manter a serenidade em meio à adversidade; é a qualidade de conservar o domínio de si quando as coisas não saem do jeito que idealizamos.

Em sua origem latina, paciência tem a ver com saber padecer. Quando não aceitamos uma realidade ou reagimos com má vontade àquilo que nos acontece, é porque perdemos a paciência.

A paciência nos leva a suportar os erros, as contradições e os aborrecimentos, inevitáveis nos relacionamentos com as pessoas e com as coisas.

Trocando em miúdos, paciência é aceitar aquilo que, para nós, é difícil aceitar.

Obviamente, quase nunca somos naturalmente pacientes. Precisamos conquistar essa virtude, assim como as demais virtudes humanas.

As causas da impaciência

Um primeiro passo no caminho para sermos indivíduos mais pacientes é identificar os principais gatilhos da impaciência. As contrariedades, presentes na vida de todos, costumam ser de três tipos:

Existem as contrariedades causadas por outras pessoas. Ficamos impacientes com aquele colega pouco produtivo no trabalho, com o motorista que nos dá uma fechada, com a falta de educação de alguém na fila do mercado e assim por diante.

Também perdemos a paciência com as nossas próprias faltas, quando esquecemos de pagar uma conta, quando não conseguimos terminar aquele relatório no prazo, quando gritamos com um filho.

E, por último, existem as contrariedades que decorrem de uma circunstância. Alguém ficou gripado justo na viagem para a praia; outro perdeu o emprego; já um terceiro, percebeu que a bateria do carro estava descarregada bem na hora de voltar para casa após um dia cheio.

Quase todos os obstáculos podem ser enquadrados em uma dessas categorias.  Um bom primeiro passo é identificar os motivos da sua impaciência.

De que tipo são as adversidades que te tiram do eixo?

Como ser mais paciente?

Compartilho dois entre os possíveis caminhos para adquirir a virtude da paciência.

Ambos pressupõem certa maturidade e o exercício cotidiano.

1º – Livre-se do egoísmo

Faça uma lista das coisas que te aborreceram na última semana. O objetivo é perceber os gatilhos que te fizeram perder a paciência. Você provavelmente descobrirá que, na maior parte das vezes, isso aconteceu por conta de um egoísmo contrariado.

Tomás de Aquino dizia que só o amor é a causa da paciência. Neste ponto reside a lição fundamental: sair de si e adotar o espírito de serviço por amor (aos outros, a uma causa e, em última instância, a Deus).

 Sair de si é o primeiro remédio contra a impaciência.

Devemos pensar que aqueles com quem convivemos tem defeitos e modos de agir que nos desagradam, mas também têm seus próprios desafios, preocupações e aborrecimentos. Não sabemos muito sobre as lutas que os outros enfrentam, que pode ser tão grandes ou ainda maiores que as nossas.

Por acaso, nós também não somos pessoas difíceis de lidar, cheios de limitações e manias? Essa humildade em relação aos nossos próprios defeitos ajuda frear os primeiros impulsos da impaciência e nos ajuda a praticar mais atos de serviço.

 2º – Aprenda a calar

O segundo exercício é permitir que os outros expressem seus pensamentos e manifestem os próprios sentimentos.

Não reaja imediatamente àquilo que te deixa impaciente. Deixe para amanhã o que seria mal feito hoje.

O tempo traz serenidade e ajusta nossas percepções, inclusive para corrigir uma ofensa ou falta justa. Um feedback dado ou recebido só atinge seus objetivos quando os interlocutores estão calmos.

Um agricultor afobado não vai colher sua safra antes do tempo. Sabe que precisa trabalhar em conjunto com a natureza. Os relacionamentos humanos também precisam dessa dinâmica. A harmonia entre uma pessoa e suas circunstâncias também é construída nos silêncios e nas esperas.

Reclamações e imposições funcionam pouco, pois cada pessoa tem seu tempo e seu jeito de perceber as coisas. Quanto esforço você tem feito para entender o modo de ser do outro?

Ouvir, calar, refletir, e só então falar. Esta é a ordem.

Como já mencionei, a palavra paciência vem do latim “pati“, que significa padecer. A virtude da paciência é, concretamente, essa arte de padecer.

Pense nos seres humanos que você admira, quantas crises, injustiças e calúnias enfrentaram durante a vida? Uma característica comum entre eles é a capacidade de enfrentar essas situações com uma serenidade incomum.

Em outras palavras, paciência é a capacidade de lidar com os contratempos da vida sem perder a elegância.